Tensão pré-casamento


Saiba identificar quando o estresse está tomando conta dos preparativos


Marina e Carlos se amam. Estão juntos há cinco anos e decidiram oficializar a união, juntar as escovas de dentes, dividir o teto e a vida. Quando tomou essa decisão o casal se baseou nos planos futuros e na boa convivência, mas cadê essa tal “boa convivência” bem na hora que mais precisam? A noiva conta que desde quando começou a organizar orçamentos, planilhas e definir fornecedores, o relacionamento anda complicado e as discussões só aumentam. Se identificou? O caso é típico, estamos falando da tensão pré-casamento. Identifique e trate os sintomas!

  • ORÇAMENTO: Um casal que até então namora e com contas e gastos individuais precisa unir forças para decidir o quanto e como bancar a tão sonhada festa. Se o assunto “renda” nunca foi pauta na relação é chegada a hora! Os noivos precisam saber as possibilidades de investimento de cada um e só assim é possível fazer escolhas proporcionais a ambos. Definir quem arca com o quê, talvez até mesmo abrir uma poupança juntos. Respeitar os limites desse orçamento conjunto é importante. Controle a expectativa e seja pé no chão.

  • NOIVO QUE NÃO PARTICIPA: Toda noiva quer conversar sobre casamento exaustivamente e não há amiga, mãe ou assessora que substitua a opinião do outro protagonista da festa: o noivo. Mas não é porque você está em modo-noiva ativado quase 24h por dia que pode exigir que ele passe horas e horas falando sobre o assunto. Seja pontual, organize as informações, homens são naturalmente mais objetivos em suas escolhas. Um exemplo prático: veja várias opções de convites, escolha três que mais te agradam e então peça opinião dele dentre os três. Ele será bem mais receptivo do que se lhe pedir para avaliar cem modelos.

  • OPINIÃO ALHEIA: Quando você diz que vai se casar milhares de “especialistas em casamento alheio” surgem para opinar. Eles não são especialistas de verdade e o excesso de opinião é cansativo e pode ser desgastante principalmente se vem da família. “Mas para que gastar isso tudo?”, “porque não gasta com viagem ao invés de festa?”... Esses e muitos outros comentários desnecessários vão surgir disfarçados de “eu só queria ajudar”. Foque no desejo de vocês, responda a esses questionamentos da forma mais curta e educada que puder e toque o barco! Nada de deixar a negatividade invadir seus planos.

  • LISTA DE CONVIDADOS:  Essa parte enlouquece muitos casais. Aqui não tem para onde fugir: convidado igual a gasto e gasto tem caber no orçamento, o resultado dessa equação é que vocês precisam delimitar primeiro quantas pessoas podem chamar e depois fazer caber na lista por ordem de proximidade e importância. Orcem o buffet e os principais gastos, delimitem um número e dividam por dois. Cada um encaixa seus convidados nessa lista, essa é a forma mais justa. Caso um precise de menos convites, claro, pode remanejar para o parceiro. Praticidade!

Estes pontos costumam gerar estresse ao casal e muitos outros podem surgir. Mantenha a saúde do relacionamento em dia, tenham momentos juntos sem falar em casamento, busquem leveza ao tratar dos preparativos. Que tal uma caminhada enquanto conversam? Lembrem-se: este é o estágio para aprender a dialogar na vida a dois.











Nenhum comentário:

Postar um comentário