Casamento tradicional


Os cinco maiores costumes em casamentos e seus significados




Então está tudo decidido e você vai subir no altar. Um belo vestido branco, o véu a grinalda e o divertido momento de jogar o buquê! Mas afinal, porque os casamentos cumprem este ritual? Para você ficar por dentro, listamos cinco tradições presentes em quase 100% dos enlaces e seus significados históricos.

Buquê
Na idade média, a noiva andava a pé ao lado de uma comitiva até a igreja. No caminho, recebia flores, temperos e ervas das pessoas que queriam lhes desejar sorte, fertilidade e afastar os maus espíritos. No século XIV nasceu o hábito de jogar o buquê às convidadas, como forma de retribuir e compartilhar toda a positividade desejada aos noivos.

Véu
O registro mais antigo vem da Bíblia, onde “cobrir a cabeça com véu” é associado ao comportamento e pureza da mulher. Para os árabes, o hijab (véu) quer dizer “o que separa as duas coisas”, em alusão à vida de solteira e de casada.  Na Grécia antiga também era costume. Os gregos acreditavam que a noiva coberta com o véu estava protegida do mau-olhado das mulheres e da cobiça de outros pretendentes. O hábito foi definitivamente popularizado depois do casamento da rainha Victoria.


Bolo de casamento
O bolo simboliza festividade, sorte, união e partilha. Sua tradição também remonta a Grécia Antiga, os noivos distribuíam entre os convidados um biscoito de gergelim e mel para indicar a convivência agridoce diária entre marido e mulher. Em Roma, o costume era produzir um misto de pão com bolo recheado e rasgá-lo sobre os convidados. Quanto mais farelos caíssem, mais prosperidade e fertilidade o casal teria.

Vestido branco
Mais uma vez a rainha Victoria, da Grã-Bretanha, fez história. Foi a primeira nobre a se casar por amor, no ano de 1840. Ela se casou com seu primo Albert e o pedido foi revolucionário, já que na época não se poderia pedir uma rainha em casamento. Victoria ainda ousou ao colocar um véu e adornos com flores de laranjeira e sem coroa, pois era proibido cobrir o rosto da rainha. A felicidade e ousadia do casal inspirou outros a adotar a cor para suas cerimônias e perpetuou sua influência.

Aliança na mão esquerda
Indispensável no casamento católico desde o século XVI, presente em quase todas as religiões e também em casamentos civis, a história não precisa o início do uso das alianças. Registros afirmam que para os antigos egípcios, o círculo era símbolo de eternidade (sem começo nem fim) e o amor deveria durar para sempre. Já os gregos tinham o costume de usar os anéis de ímã no dedo anelar por acreditar que ali passa uma veia que vai direto ao coração.

Então agora você já sabe a significação de momentos especiais que irá vivenciar. Conhece outros costumes ou gostaria de saber mais sobre o assunto? Envie-nos suas perguntas. Teremos prazer em pesquisar e responder!













Nenhum comentário:

Postar um comentário